sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Já não se pode (pare)ser puta aka Portugal adora slut shamming



Isto não é novo, facto, a Ordem dos Advogados não gosta de promo-trailers.

Não sei que diga, tirando o facto de que somos tão carrancudos e tudo tem defeitos e como já dizia outra blogger, a Rosário Mattos (sim com dois "tês") é a nossa Pepa para 2013 e ou eu sou do contra ou tenho mais em que pensar mas não acho nada aquilo vídeo a catrefada de atrocidades que já li.

Resumindo, o vídeo peca em primeiro lugar por não ter um indicador do que é que está a promover, se eu tivesse problemas de audição ou a televisão avariada poderia pensar que aquilo poderia ser:

a)Um anúncio de perfume (se não o visse até ao fim porque não aparece o frasquinho)
b) Um anúncio de marroquinaria e afins
c) Um anúncio duvidoso da Apple ao iPad.
d) Um anúncio a jóias da avó

Depois passamos aos pormenores, a Rosário Mattos não só tem dois "tês" como uma maneira esquisita de falar que hipoteticamente se eu fosse má língua diria que era ou toxina botulímica mal aplicada ou um acidente cardiovascular e aí coitadinha não se pode fazer pouco.

Depois uma alegadamente pirosa com um colar em cima do vestido preto, ai que medo só me lembra uma antiga chefe que apelidei carinhosamente de "a falecida" que adorava um bom colar de pérolas por cima de camisolas de gola alta com quem tive uma discussão que começou com ela para mim "Porque é que tu usas base?" e eu respondi "E porque é que tu não usas?", no dia a seguir não usou base mas para ser sexy e moderna usou uma sombra dourada que parecia ter vindo de um kit de maquilhagem de criança que iam caindo purpurinas para a zona da olheira ao longo do dia.

Depois temo a das riscas, com olhar psicótico e com aquela não me meto.

Por fim há a pseudo-gira que não sabe andar de saltos ou então é o ângulo que não a favorece.

Mas eu também queria ser assim, ter todas as minhas fotos cheias de photoshop e a preto e branco porque é bem mais chique porque são a preto e branco e também ter aquela vida agitada das jovens advogadas que perseguem os devedores de salto alto e smoky eye, quem é que consegue resistir a não pagar a uma mulher de saia curta, saltos altos e smoky eye? Queria andar pela rua, olhar para o céu com uma expressão de profundidade espiritual e depois olhar para o ecrão do tablet na horizontal que já sabemos dar imenso jeito quando estamos a andar.

As jovens, que não me parecem ser parte dos associados, fazem-me lembrar a polémica das saias curtas em tribunal da Ally McBeal que provocavam as pessoas mais tacanhas que não percebiam que aquilo era uma série de televisão e que depois na segunda série tem direito a ser explorado num dos episódios logo no início com um desfecho mordaz da Portia de Rossi a declamar que as mulheres são sexualmente castradas para vencer num jogo de homens à medida que fazendo um mais tease do que stripe ao tirar o casaco e soltar os seus longos cabelos louros e a Ally teve perdão do juiz e por isso pessoal vamos deixar os dois "tês" sossegados por que é mais um caso de muita parra e pouca uva.

Uma amiga minha comentou que de facto manda a mensagem que as mulheres ou são giras ou não têm sucesso profissional. Discordo, convenhamos que aquelas mulheres não são assim tão giras, excepto a do olhar psicótico porque essa tenho medo que me apareça aqui para me matar.

O anúncio é só um anúncio ao mau gosto e a uma law firm boutique, que não sei o que é e a moral da história ao olhar para a foto é "uma photoshopada por dia não sabe o bem que lhe fazia"

9 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado João, vá não estou sozinho. Um abraço.

      Eliminar
  2. Ahahah, olha, adorei o post e o tom assaz crítico. Vá lá, deixa as moças em paz, que eu lido com garotas assim desde sempre e, com a faculdade, ainda mais. :D Não estarás, talvez, habituado. Acredita, com o tempo torna-se um hábito. Um dia na minha faculdade e ficarias completamente 'passado'.

    Quanto à base, olha, eu também uso e 'tô nem aí' para as críticas. Às vezes ponho, outras vezes não. Conforme me apetece. Ainda ligas? Passa à frente disso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Mark, fico contente com o elogio. A minha crítica é mais a quem critica e diz que é indecente e anti código deontológico e afins. Lida com muitas pessoas que vêm da tua faculdade e com a tua licenciatura, estou super habituado. Mas não me respondeste à pergunta do que é uma law firm boutique.

      A história da base é de 2006, não não ligo, até porque tenho sempre só quem dorme comigo é que me vê de cara lavada. Não ligo porque a costeleta de maquilhador não vê a maquilhagem como algo associado ao género mas quando não têm mais nada onde pegar há sempre estas tricas e o meu ambiente laboral é castrador mas uso base e já tive cabelo comprido e o caracol porque não acho que seja relevante.

      Eliminar
    2. Isso deve ser algo do direito anglo-saxónico, porque nunca ouvi falar, nem em direito comparado.

      Há assistentes 'novérrimas' na minha faculdade e algumas enquadram-se bem no que descreveste. Há uma loura, falsa, que vai para as aulas de mini-saia e saltos super altos. É imensamente criticada, sobretudo pelas que não podem usar e vestir o que ela veste. É sempre assim. Claro que depois há aquelas que irritam o comum dos mortais. Vem-me à memória uma, aluna, que tem a mania que é linda e poderosa e faz-e-acontece. Tem uma cara medonha! LOL Há raparigas com muito mais estilo de jeans e ténis gastos. Atitude. :)

      Eliminar
    3. O sex appeal e a exuberância (verdadeira, não a visualmente ostensiva) são coisas que para mim advém da atitude, daquele jogo de cintura que falta a tantas. E sim há muita gente que critica vestes e afins porque não os pode usar.

      Eliminar
  3. Não me parece incorrecto, embora a Ordem dos Advogados tenha uma política muito rígida no que diz respeito a autopromoções!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tá bem, se houvesse um só com homens logo se via a reacção.

      Eliminar