quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

O Grande Revelhão in review

Há que fazer aqui um parêntesis para elucidar a minha relação com a Amadora e derivados, tive três idas lá memoráveis no evento em si mas o sítio vá faz-me sempre um pedacinho de brotoeja, podia não colocar aqui esta nota mas também não me parece que seja uma coisa inconfessável.

Isto começou logo pela ida de táxi, apareceu-nos um guiado por um senhor de noventa anos que não saiu para nos abrir a bagageira que por sinal custava a abrir e a fechar, nós a colocar os sacos lá dentro à chuva claro está, entrámos todos e quando facultámos a morada ele respondeu "O quê? Para a Amadora não vou.", eu disse secamente para ele ficar parado e tirarmos as coisas da bagageira não fosse o diabo tecê-las e o C. a resmungar que anda às voltinhas e a tirar o trabalho aos outros.

O segundo taxista foi enganado por nós que tínhamos sido induzidos em erro e fomos parar ao centro da Amadora que estava cortada para a Corrida de S. Silvestre, não há palavras para descrever a minha irritação por estas coisas das corridas e o trânsito. Não metem sinalização nenhuma, os polícias são vagos até à inconsciência e nada contra (ou só qualquer coisinha) a quem se mete a correr na noite de fim de ano mas eu só penso nas pessoas que vêm cansadas de trabalhar e depois e um inferno para se chegar a casa.

O jantar em si foi agradável, os anfitriões uns amores e perto da meia noite o plano era ir para um sítio perto de casa ver o fogo de artifício que não obstante o encanto que possa ter para muitos, para mim é tão emocionante como ver tinta a secar na parede.

O bairro estava envolto em neblina, muito à brumas de bladiblá e e eu ainda disse umas vezes que não íamos ver um cu, mas corajosos lá fomos nós de Moët & Chandon na mão e os corpinhos de plástico (pedi perdão a Santa Veuve Clicquot mas é uma questão de ser prático) e começou a ver os habitantes a sair das casas com gaitas que faziam o som de porcos a serem linchados e eu a ter um momento de deja serie em que pareciam os zombies de Walking Dead atrás de nós em direcção ao ponto mais alto, com uma rapariga que não conhecia no topo de uma coisa (eu sei que não estou a descrever grande coisa) a gritar "Venham pelas escadas, venham pelas escadas!" e eu alegremente a dizer que embora muitas vezes a minha vida seja um filme não é um filme de terror.

Depois as alminhas que nos rodeavam começaram com os foguetes de trazer por casa, não se via ponta de um chavelho, começou a chover e voltámos para casa com o cabelo molhado e eu a perceber que embora a base fosse water-resistant, o corrector nem por isso.

Mais joguinho menos joguinho e de volta a casa para um dia de puro ócio, vamos ver 2014, vamos ver...

15 comentários:

  1. Llllllllllllloooooooooooolllllllllllllll pareces um velho pah! Lol

    ResponderEliminar
  2. Estou a ver que deve amar tanto passagem de ano cm eu... lol

    ResponderEliminar
  3. emocionante... a mim, quem me tira uma casa quente em dia de chuva, tira-me tudo. passagem de ano seria boa que fosse no rio, com calor e uma roupinha branca.
    bom ano de 2014.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje não tirei os cotos de casa, sofá e cama, cama e sofá.

      Eliminar
  4. Começa com uma lua nova, por isso é um bom começo! :)
    Hughie :3

    ResponderEliminar
  5. O meu revelhão não foi nada de especial. Passei-o com a mãe e uns amigos seus na casa de um deles. Jantámos às tantas, vimos uns fogos no jardim (a cobertos da chuva), ficámos na conversa e pouco mais. Bom, ficaram eles, que as idades distam da minha. Pelo menos era a única pessoa de 'vintes', senti-me protegido. :p

    Ahahah, adorei o texto e o teu conhecido tom cómico-irónico. :D Também não gosto muito dessa zona (aqui que ninguém nos lê LOL). Quando saí na estação, no dia do jantar, acaso estivesse sozinho morreria de medo.

    Base water-resistant, muahahah, és demais. :DD

    Feliz ano novo, Eolo.

    um grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz Ano Novo, também tive muitos fins de ano assim Mark. E é water resistant, Hourglass Immaculate!

      Eliminar
  6. Afinal foi bem divertido! (pelo menos para quem o leu aqui no blogue...)

    ResponderEliminar
  7. parece ter sido fixe.. gostava de ter ido ao bairro!
    feliz dois mil e catorze! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bah, não suporto bairro.

      Feliz 2014 para ti Aaron.

      Eliminar