domingo, 6 de abril de 2014

A evitar "Brunch Café"

Há anos atrás abriu a Castella do Paulo, na minha juventude fui lá lanchar algumas vezes. A fome de tudo o que era japonês era imensa e aproveitava-se tudo, mas era apenas um pão de ló caro que não tinha a delicadeza de uma outra castella que tínhamos provado vinda do Japão e deixámos de lá ir.

No outro dia fomos provar o Brunch Café exactamente no mesmo sítio e assim que chegámos, por alguma razão que me escapa, o dono era parecido com o da castella. O Brunch Café é um restaurante, se é que lhe podemos chamar assim que prima por ter na ementa pratos geralmente servidos em brunches como huevos rancheros, panquecas entre outras coisas e até aqui tudo bem, pelo menos parecia...

Ao contrário dos outros brunches em Lisboa que optam pelo bouffet ou uma selecção de pratos, este decide especializar-se, tem três opções base com mais ou menos coisas e depois opções à parte para personalizarmos o nosso brunch, até aqui continua tudo muito bem.

Nós fomos pelo mais básico que tinha uma cesta de pão e manteiga, duas panquecas com açúcar por cima, uma bebida fria e uma bebida quente, optámos por guacamole à parte e um abacate com um ovo estrelo no lugar do caroço... as nossas amigas pediram bebidas do menú, uma sandwich e ovos mexidos e aqui começou a emoção.

Tínhamos direito a uma cesta individual de pão cada um com uma variedade de pão, uma vinha claramente mais cheia que outra, uma tinha tipos de pão que a que tinha menos não tinha, logo aí torci o nariz mas somos todos adultos por isso partilhámos o pão e continuámos, as bebidas do menu eram quase metade das bebidas pedidas à parte que é completamente omisso na ementa, achei má onda porque cheirava-me a publicidade enganosa mas continuámos.

Chegou o guacamole e ao contrário do que estou acostumado não era nada cremoso e estava cheio de pimentos, tinha mais pimentos do que abacate, tudo cortado grosseiramente e servido com um prato de nachos, sendo que eram duas doses e que cada dose, segundo a empregada, dava para duas pessoas achei pouco generoso, poucos nachos e ainda menos fauxcamole porque aquilo não era guacamole em lado nenhum e já comi vários tipos, desde ter o empregado de um restaurante mexicano a fazê-lo à nossa frente no almofariz ou até a fazê-lo em casa e até as versões industriais, tudo era melhor que aquilo, mandámos para trás e dissemos que preferíamos mais cremoso, do fundo da cozinha ouvi o copo misturador a funcionar chegou-nos uma aguadilha alaranjada com bocados de pimentos cortados, nem preciso dizer que era intragável e comemos só os nachos.

Os ovos mexidos da minha amiga, que supostamente eram com espinafres, de espinhafres tinham pouco, estavam demasiado cozidos com água e muitos, mas muitos cogumelos de conserva que não foram bem escorridos e cheios de salsa. Portanto ovos mexidos com espinafres que pareciam de cogumelos. Chegou o outro abacate com o ovo, que vinha quase crú e e como tinha bacon não provei mas quem o comeu não me pareceu extasiado. Depois vieram as panquecas, cheias mas CHEIAS de canela, ao ponto da canela fazer montinhos, quando as cortei a massa estava mal cozida quase crua e mandei-as para trás, a outra pessoa que comia panquecas disse que as queria no fim, cinco minutos depois vieram as da outra pessoa frias e também quase cruas, estas nem as provei e mandei-as para trás e disse que não queria mais nada. As panquecas também eram mais pequenas que as panquecas de quem pedisse à parte e isso não vinha no menu.

O empregado, que para mim é dono, veio ter comigo e perguntou-me qual era o problema num diálogo mais ou menos do género:

Ele - Há algum problema?
Eu - Sim, mandei as primeiras para trás porque estavam quase cruas e as segundas estavam iguais além de que na ementa vinha escrito que só tinham açúcar e vinham cheias de canela que eu não pedi.
Ele - Eu provei as segundas que devolveu e para mim não têm nada de mal.
Eu - Pois, para mim estavam quase cruas e não percebo o que é que o senhor pretende.
Ele - Mas podia mandar cozer mais um bocado.
Eu - Panquecas não se podem voltar a cozinhar porque a única coisa que ia fazer era tostar o exterior porque o lume já está demasiado alto e por isso é que vêm quase cruas por dentro. Ja disse que não as queria, por isso continuo sem perceber.

O senhor foi embora muito arreliado e honestamente mesmo que eu fosse um imbecil que embirrasse só por embirrar ele não tinha que entrar em despique é suicídio de qualquer tipo de relação com um cliente, só me irritou mais do que eu já estava.

A partir daqui ignoraram-nos, ao ponto de não trazerem as panquecas do segundo menu, nem as bebidas quentes e quando uma amiga minha quis mais uma água e um muffin quase foram precisos sinais de fumo mas depois apareceu tudo na conta, resultado mais reclamação e tiraram um dos menus, segundo eles não bebemos os cafés porque não pedimos (no pedido fiz questão de dizer que os cafés vinham no fim) e as panquecas da outra pessoa idem...

Em resumo, não ponham lá os pés, é demasiado caro, a comida não vale a ponta de um chavelho e cada vez me cheira mais a um reciclar do antigo sítio para aderir à moda do brunch e tenho sérias dúvidas que esteja qualquer coisa remotamente parecida com um chef na cozinha.

17 comentários:

  1. Ou és tu que és muito chato e perfeccionista Eolo, ou então o sítio é mesmo muito mau.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O melhor é ires lá e veres seu é mau ou se eu sou chato.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Em vez de ser uma tarde descontraída foi exactamente o oposto.

      Eliminar
  3. olha, eu nunca fui a um brunch fora de casa, acho que é dinheiro deitado fora, nunca é ao nosso gosto e não vale a pena - tu bem que és o perito - fazer muita coisa para se sair bem - umas pequeninas coisas salgadas e doces, petiscando, bebendo, convivendo com os amigos. e para isto basta estar em casa. até mesmo uma alheira com ovos mexidos e uma tartes mini de espinafres e queijo e bolos, pão caseiro, broa, ah broa :)
    por aí e café, ah, sim, café não dispenso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há sítios engraçados. O Bebel em S. Bento, o da Choupana é agradável.

      Brunch em minha casa é mega épico, eu exagero sempre, no próximo convido-te e trazes a broa.

      Eliminar
    2. combinado.
      para sair da minha banda para brunchar em lisboa chegaria esganadinha, acordo com uma larica...

      Eliminar
  4. Nunca fui a um brunch, mas há algum tempo na televisão vi uma série de pequnas "amostras" do que se poderia comer, e fiquei curioso em ir a um dos sítios que lá falaram. Se fosse ao que tu foste iria ficar desiludido. O português deveria de reclamar mais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O português devia saber reclamar.

      Eu já fui a vários brunches, uns deles no estrangeiro, outros cá fora e este foi dos piores.

      Eliminar
    2. Quero ver se vou este fim de semana!

      Eliminar
    3. A este? Uh child, save your money!

      Eliminar
    4. Não LOLOL "Brunchar", mas não a esse LOL

      Eliminar
  5. olha, achas que eu deva enviar o link deste post? ;)
    http://www.ionline.pt/artigos/mais-lifestyle/brunch-cafe-uma-casa-cha-atrevida/pag/-1

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim sim, não é só pimenta que lhe falta.

      Eliminar
  6. Concordo plenamente contigo, contudo que não fui la para um brunch mas para um almoço leve. Na realidade estava a espera de comer no luso-japones.... mas enfim.....
    A minha experinência aqui: https://lillyslifestyle.wordpress.com/2014/04/14/pranzo-rapido-al-brunchcafe-di-lisbona/

    ResponderEliminar