quinta-feira, 20 de março de 2014

Truly truly truly outrageous

 

Embora a She-ra seja uma das minhas heroínas de referência, a Jem também faz parte da minha infância. Na altura em que o pop rock explodia a Jem apareceu nas séries de animação, numa realidade televisiva em que os rapazes dominavam o commando da televisão, a Jem tinha que os manter intrigados para que as meninas pudessem ver, Jem é uma série escrita por encomenda pela genial Christy Marx que recebeu protótipos de bonecas da Hasbro e teve que criar uma série que pudesse servir como veículo de publicidade. Aliando a moda à música e uma tecnologia holográfica tecnologicamente impossível Jem nasceu para ser o novo modelo a seguir, inicialmente era para se chamar M mas a Habro desistiu quando os informaram que não era possível fazer copyright a uma letra.

A premissa é simples. Jerrica Benton é uma jovem que perde o seu pai e herda a casa Starlight, um lar para jovens órfãs quando aborda o gestor da empresa que assumiu o controlo da editora discográfica Starlight Jerrica vê-se literalmente entre a espada e a parede sem fundos para gerir o projecto, graças a uns brincos com micro emissores holográficos embutidos e o sistema de entretinimento holográfico Sinergy, Jerrica assume o alter-ego de Jem, uma cantora pop que com o seu grupo The Holograms consegue reaver a gestão da editora e fazer frente a Eric Raymond e ao grupo rival The Misfits.

As histórias são interessantes de um ponto de vista de argumento, Jerrica/Jem vê-se envolvida num triângulo amoroso em que ela e o seu alter ego disputam atenção de Rio que embora seja o namorado de Jerrica sente-se incrivelmente atraído pela misteriosa Jem, história da tanga verdade mas se pensares nas implicações morais que eram destinadas às crianças não deixa de ter piada, além disso Jem tinha o cariz educativo/moralista dos desenhos animados da década de oitenta e aborda temas como a ecologia, países desfavorecidos e lança uma mensagem de que qualquer um de nós pode ser aquilo que quiser, verdade que Jerrica mente a todos para manter em segredo a tecnologia que dá vida a Jem que poderia causar graves danos nas mãos erradas. Cada episódio tinha 3 canções dos dois grupos muito kitsch como manda a regra e deixo-vos com mais uma para além do genérico.



Isto tudo para dizer que estão a pensar fazer um filme live-action da Jem como fizeram com os GI JOE.

7 comentários:

  1. Deves ser muito mais novo, não me lembro "disto".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é all sorts of awesome! Mas vi-o lá fora, cá acho que passou muitos anos depois num canal cabo.

      Eliminar
  2. Eu via a Jem porque apanha-se um canal pirata que dava. Vi poucos mas adorava mesmo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tou mesmo à espera que façam um filme! <3

      Eliminar
  3. se eu disser que adorava os moto-ratos de marte, matas-me?
    nunca vi esta série.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não te matava porque a dobragem portuguesa era genial!

      Eliminar
    2. claro que era, eu via apenas por isso! :D

      Eliminar